Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

P U B L I C I D A D E

Uma equipe internacional de cientistas desenvolveu um filtro que consegue converter grandes volumes de água do mar em potável em menos de 30 minutos. A invenção requer apenas o uso de energia solar, tornando o processo sustentável e de baixo custo

Um comunicado da Universidade Monash, com sede em Melbourne, Austrália, afirmou que o avanço tecnológico pode fornecer água potável a milhões de pessoas em todo o mundo usando energia de forma mais eficiente do que as práticas atuais de dessalinização.

P U B L I C I D A D E

“Devido à disponibilidade de água do mar e água salobra — aquela que tem mais sais dissolvidos do que a água doce, mas menos do que a água do mar —, como os processos de dessalinização são confiáveis, a água tratada pode ser integrada aos sistemas aquáticos com riscos mínimos para a saúde”, conta o professor Wang, do Departamento de Engenharia Química da Monash University.

Para funcionar, o filtro requer apenas luz solar direta para purificar a água.Compostos organometálicos (MOF) — íons metálicos que formam um material cristalino — são usados ​​para fabricar o filtro.

P U B L I C I D A D E

De acordo com reportagem do G1, o filtro primeiro atrai e retém moléculas dos sais da água e então é colocado sob a luz do sol para regenerar o sal. Esse processo leva menos de quatro minutos, e então o filtro pode atrair o sal da água novamente.

P U B L I C I D A D E