Foto: Instituto Biológico

P U B L I C I D A D E

Pesquisadores de Singapura e China desenvolveram um mapa global da distribuição das 20 mil espécies de abelhas que existem no mundo. Ferramenta busca estudar padrões dos insetos como forma de contribuir para a sua conservação futura. As informações são da BBC News.

As abelhas são as principais responsáveis pela polinização de grande parte dos alimentos básicos. A vida desses animais, no entanto, sofre ameaças por conta da perda de habitar e uso de agrotóxicos e pesticidas.

P U B L I C I D A D E

De acordo com Alice Hughes, da Academia Chinesa de Ciências em Yunnan, cientistas ainda não tinham dados sobre onde estava a maioria das espécies. “Aqui, combinamos milhões de registros para criarmos os primeiros mapas da riqueza global das abelhas. E entendermos por que vemos esses padrões”, explica à BBC.

“Esses mapas e nosso quadro de referência podem formar a base para trabalhos futuros, permitindo-nos compreender melhor os padrões de riqueza das abelhas e garantir que sejam conservadas de maneira efetiva no futuro”, completou.

P U B L I C I D A D E

Cientistas destacam ainda que algumas espécies de abelhas, como as que habitam parte da Ásia e da África, ainda são pouco estudadas. De acordo com os pesquisadores, mais de 96% das espécies de abelhas são mal documentadas. O mapa global, portanto, deve auxiliar as pesquisas sobre esses insetos.

P U B L I C I D A D E

Luísa Fragão
Jornalista e estudante de Ciências Sociais na FFLCH-USP. Vegetariana desde os 16 anos. Acredita que a vida sem crueldade animal é muito mais ética, sustentável e saudável. É subeditora do Portal Veg.