Nuvem de gafanhotos no norte da Argentina (foto: Misiones On Line)

P U B L I C I D A D E

Uma nuvem de gafanhotos que vem causando estragos em lavouras no Paraguai e na Argentina nos últimos dias se aproxima rapidamente da fronteira com o sul do Brasil e preocupa autoridades e agricultores.

O fenômeno foi identificado no fim de semana, quando provocou danos em plantações de milho, mandioca e cana-de-açúcar no sul do Paraguai, e logo chegou ao norte da Argentina, onde continuou gerando problemas.

P U B L I C I D A D E

O Ministério da Agricultura do Brasil assegura estar monitorando o avanço dos insetos, mas não informou sobre nenhum plano de contingência específico para enfrentar a praga, que poderia atingir algumas regiões dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Segundo o engenheiro agrônomo argentino Héctor Medina, em entrevista à agência Reuters, a nuvem tem aproximadamente um quilômetro quadrado de extensão, o que significaria cerca de 40 milhões de insetos. O especialista também estima que eles são capazes de consumir uma quantidade de pasto equivalente ao que podem fazer 2 mil vacas, ou 350 mil pessoas.

P U B L I C I D A D E