Foto: freeimages.com

O tráfego de carros no centro de Londres será diminuído para estimular que as pessoas caminhem e pedalem durante a pandemia do coronavírus. Segundo as autoridades, as rotas de ônibus e metrô, além da regulamentação para automóveis, serão alteradas para reduzir a circulação.

Em algumas ruas do centro, carros serão proibidos, criando “uma das maiores zonas sem carros de qualquer capital”. O plano engloba grandes vias da cidade.

Para o prefeito Sadiq Khan, a Covid-19 é o maior desafio já enfrentado pela rede de transportes de Londres. “Exigirá um esforço monumental de todos os londrinos manter um distanciamento social seguro no transporte público”, afirmou.

O número de passageiros no metrô na cidade, com a implementação do isolamento, passou a ser 5% do que era antes da pandemia. As viagens de ônibus foram reduzidas a 15% do número normal. A Transporte para Londres (TfL), operadora de transportes na cidade, vem recebendo auxílio do governo para lidar com a falta de renda decorrente da pandemia.

Com a exigência de manutenção de dois metros de distância entre as pessoas, quando as medidas de isolamento passarem a ser flexibilizadas, a TfL afirmou que os veículos de transporte público devem circular com apenas 13% a 15% do número normal de passageiros.

Diante da situação, ruas ao redor de pontos importantes da cidade, como a Ponte de Londres Bridge, Shoreditch, Euston, Waterloo, Old Street e Holborn, podem ter circulação restrita a pedestres, ciclistas e ônibus. Segundo Khan, muitos londrinos terão que se acostumar a caminhar ou pedalar para lidar com a nova situação.