Após maus-tratos em circo no Chile, elefanta Ramba chega ao Brasil

Foto: Arquivo/ Santuário de Elefantes do Brasil (SEB)

A elefanta chilena Ramba desembarcou na quarta-feira (16) no Aeroporto de Viracopos, em Campinas. Ramba foi resgatada de um circo no Chile e foi direcionada para o Santuário de Elefantes do Brasil (SEB), no Mato Grosso.

Ramba foi o primeiro animal a ser recebido no terminal de cargas do aeroporto e contou com uma megaoperação para a sua chegada. Além de guindaste, empilhadeira, reforço na segurança e uma equipe de 30 pessoas, para a operação, a elefanta foi recepcionada com uma faixa de boas-vindas que dizia: “Seja bem-vinda ao Brasil”. O desembarque durou seis horas.

Ramba é considerada o último elefante de circo do Chile, e viveu a maior parte da sua vida sendo vendida e repassada de um circo para outro. As denúncias de maus-tratos e negligência vieram em 1997 e resultaram no confisco do animal pelo Serviço Agrícola e Pecuário chileno. À época, Ramba era refém de um circo chamado Los Tachuelas. Evidências dos maus-tratos sofridos por ela se encontram no seu comportamento alterado e em feridas encontradas por todo o seu corpo.

Mesmo com o confisco, Ramba não foi retirada do circo, apenas impedida de trabalhar. Em 2012, a ONG Ecópolis organizou uma campanha para resgatá-la, e providenciou, com a ajuda de uma equipe do SEB, a sua transferência para o Parque Safari Rancagua, onde permaneceu até hoje. A partir daí, o SEB começou a organizar a logística da sua vinda para o Brasil, onde poderá viver em liberdade e na companhia de outros elefantes. No Santuário, inaugurado em 2016, que fica na Chapada dos Guimarães, vivem, hoje, as elefantas brasileiras Maia e Rana.