Foto: Twitter

Duas das três últimas girafas brancas do mundo foram mortas por caçadores no nordeste do Quênia. As carcaças de uma fêmea e seu filhote foram encontradas por guardas florestais no condado de Garissa. A informação foi divulgada pela BBCNews.

Com as mortes, resta apenas uma girafa branca identificada no mundo. Essa aparência é fruto de uma condição rara chamada de leucismo, que inibe a produção de melanina pelas células da pele do animal. Ela é diferente do albinismo, condição na qual o indivíduo não produz nenhum tipo de melanina (pigmentação).

Segundo o chefe da Preservação Comunitária do Quênia, Ishaqbini Hirola, Mohammed Ahmednoor, as duas girafas mortas foram vistas pela última vez há mais de três meses. “Este é um dia muito triste para a comunidade de Ijara e do Quênia como um todo. Somos a única comunidade do mundo que é guardiã da girafa branca”, disse em comunicado.

“Seu assassinato é um golpe para os importantes passos dados pela comunidade para preservar espécies raras e únicas e um alerta para o apoio contínuo aos esforços de preservação”, afirmou Ahmednoor.

A Kenya Wildlife Society, órgão de preservação ambiental do país, afirmou que está investigando as mortes.