Foto: Silas Ismael/Arquivo Pessoal

P U B L I C I D A D E

O fogo que consome o Pantanal, no Mato Grosso do Sul, está ameaçando diversos animais da região, inclusive espécies em extinção. Carcaças queimadas de cobras, jacarés, lagartos e de outros répteis hoje fazem parte do cenário local, já que o fogo continua a se alastrar.

Até então, o incêndio já destruiu uma área nove vezes do tamanho da cidade de São Paulo, segundo dados do Instituto Brasileiro de Recursos Naturais Renováveis (Ibama). De janeiro até agora, Corumbá já registrou 3.967 focos de incêndio, sendo 49 somente nas últimas 48 horas. O rio da região não foi o suficiente para impedir o avanço das chamas.

P U B L I C I D A D E

Em entrevista ao G1, a gestora ambiental do Ibama, Thainan Bornato, explica que muitos répteis não conseguem fugir dos incêndios florestais. Além deles, os tamanduás também tem se tornado vítimas, já que estes não possuem uma visão boa e também tem dificuldade para escapar do fogo, aliado com a forte fumaça.

Além dos répteis, o fogo também ameaça um dos maiores santuários de araras-azuis do país. De acordo com reportagem do Jornal Nacional, na edição desta terça-feira (18), as árvores de uma fazenda em Barão de Melgaço são usadas por mais de 700 araras para fazer os ninhos. A maior parte das aves, no entanto, já morreu queimada.

P U B L I C I D A D E