Reprodução

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou p pedido do Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG) para retirada dos animais do Mercado Central de Belo Horizonte. O estabelecimento é o único de seu porte em toda a América Latina a ainda vender animais vivos.

Ativistas de Minas Gerais têm tentado reverter a situação no Ministério Público há anos, que já pediu inúmeras vezes para a Justiça proíba o comércio de animais no local. A principal motivação dos pedidos era os maus-tratos que animais eram submetidos, em especial por sua aglomeração no Mercado Central. Em segundo lugar, há a falta de clareza na origem e destino desses animais, ao serem vendidos em um mercado sem critérios ou exigências.

A ativista vegana, professora e política mineira Duda Salabert comentou sobre o caso em seu perfil no Instagram. “O TJMG está indo contra aos avanços que estão ocorrendo em todo o mundo. A Justiça mineira fecha os olhos para essas questões e decide manter os milhares (sim, são milhares) de animais no Mercado Central da capital. A Justiça mineira também fecha os olhos para o projeto de lei aprovado no Senado que estabelece que ‘animais não são coisas, mercadoria’. Vergonha! Vergonha! Vergonha!”, disse Duda.