Naja que picou estudante de Brasília/Reprodução

O Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF) afirmou na segunda-feira (13) que iniciou uma investigação contra o estudante de medicina veterinária Pedro Henrique Krambeck, de 22 anos, que foi picado por uma naja na semana passada.

O jovem, acusado de tráfico de animais, era dono de outras 16 cobras que foram apreendidas pela Polícia Civil do DF. Todas estavam sob condições de maus-tratos. A informação é do G1.

O jovem recebeu alta na segunda-feira (13) após seis dias internado em um hospital particular. Ele foi picado no dia 7 de julho. O jovem chegou consciente no hospital, mas, em pouco tempo, seu quadro de saúde piorou e entrou em coma.

O estudante precisou receber soro antiofídico do Instituto Butantan, em São Paulo, por causa da picada da naja. A unidade era a única que possuía o soro no país.