Foto: NSAPC

A NSPCA (National Council of Societies for the Prevention of Cruelty to Animals/Conselho Nacional de Sociedades para a Prevenção da Crueldade contra Animais) da África do Sul apresentou acusações criminais contra os grupos envolvidos no transporte de mais de 60 mil ovelhas vivas em um navio para o Oriente Médio.

O nome do navio é Al Shuwaikh e entre os acusados estão o Departamento da Agricultura, os proprietários e o capitão do navio, além de outros órgãos governamentais envolvidos. As acusações são de maus-tratos e abuso contra os animais.

As ovelhas foram encontradas em condições insalubres e perigosas, como níveis altos de concentração de amônia em conveses fechados e ambientes sujos. Também foi identificada a presença de fezes nas valas de água e comida, e na área de habitação dos animais.

Além disso, as ovelhas foram tratadas de forma violenta durante o processo, sendo que houve tentativas de levar ovelhas feridas, doentes e mancas também.

Em setembro, a NSPCA organizou uma campanha para evitar o carregamento das ovelhas, que contou com apoio de várias organizações ao redor do mundo. Mesmo assim, a viagem foi autorizada pelo governo.

Em comunicado do dia 14 de novembro, a inspetora sênior da NSPCA Grace De Lange disse que “testemunhar o sofrimento dessas ovelhas antes mesmo da partida do navio e assistir ao Al Shuwaikh partir foi muito difícil, mas também confirmou a determinação da NSPCA de advogar por justiça em seu nome”.

A intenção é que não apenas esse navio seja impedido de retornar à África do Sul, mas também questionar a exportação dos animais de forma geral.