Juliano Baiocchi (Reprodução/Facebook)

O procurador-geral da República, Augusto Aras, nomeou na segunda-feira (8) um procurador defensor da chamada “MP da grilagem” e do agronegócio para coordenar a 4ª Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do Ministério Público Federal (MPF).

O subprocurador-geral da República Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho, que vem da Câmara de Consumidor e Ordem Econômica, defendeu a MP por permitir a “livre concorrência e livre iniciativa privada”.

A MP da grilagem foi amplamente criticada por ambientalistas por flexibilizar as exigências para regularização fundiária. A proposta já saiu da pauta do Congresso.

O próprio MPF chegou a criticar a fala do procurador. Em nova, o órgão deu parecer contrário à proposta, sustentando que a aprovação da MP levaria ao aumento da grilagem no país e, consequentemente, do desmatamento.

Em entrevista à BBC Brasil, Baiocchi também defendeu que seria bom para o meio ambiente se o MPF “fosse próximo do agronegócio”. Ele é dono de uma fazenda nos arredores de Brasília dedicada à criação de gado.

“Se o MP fosse mais próximo do agronegócio acredito que seria bom para o meio ambiente. Estamos em uma fase em que a tutela dos direitos sociais (o meio ambiente equilibrado é um direito da sociedade) deveria passar muito mais por processos de composição e diálogo do que por uma rivalidade entre supostos defensores do passado e a realidade do presente”, disse o procurador.