Foto: Ibama

Segundo um levantamento publicado nesta quinta-feira (26) pelo IBGE, o Brasil perdeu 7,6% de sua vegetação florestal entre 2000 e 2018. Enquanto isso, as áreas destinadas à agropecuária aumentaram.

As áreas de Cerrado, Caatinga e Pampas tiveram uma perda de mais de 10%, maior do que a total, proporcionalmente. A área total de vegetação florestal abrangia 4,02 milhões de quilômetros quadrados (km²) em 2000, passou a ser de 3,71 milhões de km².
No mesmo período, o território agrícola aumentou 44,8% e passou a ocupar um total de 664,8 mil km².

O pesquisador do Instituto Fernando Peres explicou ao UOL que, até 2012, 20% das novas áreas agrícolas vieram de territórios que antes eram destinados a pastagens, ou seja, à pecuária. Depois desse ano, o número subiu para 53%.

Peres explica que isso se deve a uma sequência observada: “Primeiro vem a retirada da vegetação nativa, seguida da instalação de pastagens e, depois de alguns anos, a implantação de áreas agrícolas”.

Segundo o estudo, o maior crescimento se deu entre 2012 e 2014, quando o aumento do número de terras destinadas ao uso agrícola foi de 7%. Em todo o período analisado, áreas destinadas a pecuária cresceram em 27% e à silvicultura, 70%.