Reprodução/Twitter

O relator especial da ONU sobre as Implicações para os Direitos Humanos da Gestão de Resíduos e Substâncias Tóxicas, Baskut Tuncak, vai questionar governo de Jair Bolsonaro na agenda do Conselho de Direitos Humanos da entidade sobre a fala do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, na reunião ministerial do dia 22 de abril.

Na ocasião, Salles afirmou que é preciso aproveitar que a mídia está focada na cobertura da pandemia do coronavírus para “passar a boiada” e desregulamentar leis de proteção ambiental. O governo, no entanto, deverá se explicar na sessão da ONU em setembro.

“O governo não deve usar a Covid-19 como cortina de fumaça para minar ainda mais a proteção do meio ambiente, da saúde pública e dos trabalhadores”, defendeu o relator, em entrevista ao UOL. “As pessoas mais vulneráveis à desregulamentação ambiental também são aquelas mais vulneráveis à Covid-19”, continuou.

Na madrugada desta segunda-feira (25), um grupo de ativistas se reuniu na sede do Ministério do Meio Ambiente, em Brasília, para pedir a saída do ministro. Manifestantes seguravam uma faixa que dizia “Impeachment Salles” e gritavam palavras como “Fora Salles” e “criminoso”.

A ONG Greenpeace também já se posicionou sobre a fala do ministro e pediu sua saída imediata do Ministério do Meio Ambiente. Para a ONG, “a fala de Ricardo Salles evidencia os perigos que a sociedade vem denunciando desde o primeiro dia de mandato do governo Bolsonaro e cujos resultados já são comprovados no chão da floresta”.