Greta Thunberg, durante discurso em Davos (Reprodução/Redes sociais)

Durante seu discurso no Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça), nesta terça-feira (21), a jovem ativista ambiental Greta Thunberg lembrou às autoridades presentes no encontro que ainda há muito pela frente com relação ao aquecimento global. De acordo com Greta, “praticamente nada foi feito” até então para conter as emissões de dióxido de carbono (CO²) na atmosfera. 

“Praticamente nada foi feito já que as emissões globais de CO² não reduziram”, disse. “Será necessário muito mais do que isso”, acrescentou a ambientalista. Segundo a pesquisa ambiental do Global Carbon Project, mais de 43 bilhões de toneladas de dióxido de carbono foram emitidos na atmosfera em 2019.

O Painel Intergovernamental das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2018, no entanto, alertou que 420 bilhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera serão o suficiente para fazer com que o planeta aqueça 1,5 ºC. Dessa forma, nas condições atuais, o limite de carbono será ultrapassado em menos de nove anos.

Discurso da ambientalista ocorreu poucas horas antes do presidente norte-americano Donald Trump chamar ativistas de “profetas da desgraça”.

“Precisamos rejeitar os perenes profetas da desgraça e suas previsões do apocalipse”, disse. Em sua fala, Trump aproveitou para defender o uso de combustíveis fósseis, algo condenado por especialistas do meio ambiente, e o livre mercado.

Confira trecho do discurso: