Trabalhadores da Amazon se manifestaram em crítica à política ambiental da empresa, cobrando redução da pegada carbônica. Mais de 350 funcionários já contribuíram com declarações.

Os comentários foram publicados neste domingo (26) na plataforma digital de textos Medium. A Amazon ameaçou recentemente funcionários que deram depoimento ao jornal Washington Post sobre o assunto, sugerindo medidas disciplinares ou demissão caso permanecessem a falar publicamente sobre a empresa sem autorização.

Os funcionários participam da Amazon Employees for Climate Justice, que pressiona a empresa a encerrar os negócios com grupos de combustíveis fósseis e diminuir a emissão de poluentes, há mais de um ano.

A engenheira de software Amanda Seyfe é uma das autoras dos comentários: “A Amazon tem a escala de ser uma líder ousada na mudança rumo à energia limpa ou uma contribuidora significativa para a mudança climática. Sabemos que teremos que lidar com isso no final, então, por que esperar?”.

Em comunicado, a Amazon afirmou que é “entusiasta dessas questões”, mas que, “embora todos os funcionários sejam incentivados a se engajar construtivamente em qualquer uma das muitas equipes da Amazon que trabalham com sustentabilidade e outros tópicos, aplicamos nossa política de comunicação externa e não permitiremos que trabalhadores denigram publicamente ou deturpem publicamente a empresa ou o trabalho árduo de seus colegas que estão desenvolvendo soluções para esses problemas difíceis”.