Reprodução

O Ministério da Agricultura, sob gestão de Tereza Cristina, publicou nesta quarta-feira (23) o registro de 31 novos agrotóxicos para uso dos agricultores. Um dos produtos é o glifosato, agrotóxico que já foi alvo de processos por ser associado ao câncer. Apesar disso, ele é o mais vendido no mundo.

De acordo com o G1, do total aprovado nesta terça pelo ministério, 24 agrotóxicos são químicos e seis biológicos, ou seja, que podem ser utilizados tanto em lavouras comerciais quanto na produção de alimentos orgânicos. Com a nova leva, já são 315 novos produtos registrados apenas em 2020.

Além do glifosato, destaca-se também a liberação do inseticida bifentrina, que é um dos mais vendidos nos Estados Unidos, mas que teve seu uso vetado na União Europeia por matar insetos que não deveriam ser alvos do produto.

Nova leva de autorizações ocorre um dia após o presidente Jair Bolsonaro elogiar o agronegócio em discurso na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). “Nosso agronegócio continua pujante e, acima de tudo, possuindo e respeitando a melhor legislação ambiental do planeta”, disse o ex-capitão.