Foto: Chico Ribeiro/ Governo do Mato Grosso/ Agência Brasil

De acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o Pantanal registrou o maior número de queimadas para o mês de outubro nos últimos 17 anos. Foram 2.430 focos registrados, sendo que um incêndio de grandes proporções aflige a região há 10 dias.

O último incêndio registrado na região já atingiu uma área de 1.200 quilômetros quadrados e destruiu 128 mil hectares de vegetação. Algumas cidades já decretaram estado de emergência e muitos moradores ficaram sem internet em decorrência do fogo. Calcula-se que, somando bombeiros e funcionários rurais, 151 pessoas estejam envolvidas no combate ao incêndio. Segundo o corpo de bombeiros, apesar do trabalho, o fogo é dinâmico e de difícil contenção. Inúmeros animais já foram mortos.

O número de 2.430 focos de incêndio registrados pelo Inpe é 1925% maior do que o do ano passado, quando foram observadas 120 queimadas no Pantanal. O recorde anterior para outubro é de 2002, quando foram registrados mais de 2.700 focos. Alberto Setzer, pesquisador do Inpe e membro do programa de queimadas, afirmou à revista Exame que a intensa seca deste ano contribui para o agravamento da situação, pois dificulta o controle das chamas e facilita o surgimento de focos de incêndio. “São praticamente três meses seguidos com chuvas abaixo da média”, disse.

O aumento dos focos registrados já foi significativo em agosto e setembro, sendo os números, respectivamente 514% e 267% maiores que os registrados em 2018. Em agosto foram registrados 1.690 focos de incêndio e, em setembro, o fogo atingiu áreas de conservação natural, ameaçando a preservação da arara-azul, espécie em extinção.
Só este ano, já foram registrados 8.875 focos de incêndio no Pantanal, entre o Mato Grosso e o Mato Grosso do Sul. Ano passado, no período entre janeiro e novembro, o número foi de 1.514. O aumento relativo é de 486%. O ano mais recente com maior número de registros foi 2007, com 9.664 focos.

O Diário Oficial do governo do Mato Grosso do Sul declarou a proibição de qualquer queimada controlada até o final do mês de novembro.