Fundadores da Phool (Divulgação)

Em parceria com o Instituto Indiano de Tecnologia (IIT), a startup indiana Phool desenvolveu um substituto para o couro animal a partir de flores. O “fleather” é vegano, biodegradável e, para a sua confecção, são utilizadas apenas flores que seriam descartadas após uso em templos da Índia.

“Fleather é uma alternativa viável ao couro animal”, afirmou Ankit Agarwal, cofundador da Phool. Ele foi um dos 17 jovens líderes de todo o mundo selecionados pela Organização das Nações Unidas (ONU) para participar do “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)” em 2018.

Na Índia, o couro é usado para diversos fins e, de acordo com o Hindustan Times, o país é responsável por 12,9% da produção de couro do mundo.

“Intrigado com a formação de uma camada branca semelhante ao couro em pilhas de flores não utilizadas, nossa equipe descobriu o crescimento de um microrganismo que usava pétalas de flores como fonte nutricional”, disse Ankit.

“O couro contém colágeno que lhe confere resistência e durabilidade, enquanto o ‘fleather’ possui quitina, uma espécie de proteína que lhe confere as mesmas propriedades. O colágeno e a quitina são análogos naturais, tornando o ‘fleather’ um substituto perfeito para o couro”, continuou. Ele garante ainda que a resistência à tração, elasticidade e resistência total do “fleather” é igual ou superior ao do couro tradicional.