Foto: Instagram/ @comendo_mato

P U B L I C I D A D E

Aline Lira é técnica em nutrição e administra o perfil do Instagram “Comendo Mato”, onde compartilha receitas, refeições e dicas veganas, com mais de 27 mil seguidores. O que muitos deles não sabem é que quem levou o veganismo para a vida da família foi o filho de Aline, Yuri, de 10 anos.

Aos 6 anos de idade, Yuri começou a recusar o consumo de carne. Segundo Aline, ele não aceitava o alimento e dizia que não conseguia engolir. “Prefiro morrer do que comer um animal de novo”, respondia diante das insistências dos pais, como contou Aline ao G1.

P U B L I C I D A D E

“Ele ainda estava aprendendo a falar quando identificou que estava comendo ovo. Ele sabia que do ovo nasce o pintinho, e daí se recusou a comer”, disse Aline. A rejeição ao leite e derivados veio logo depois, desencadeada pela identificação da imagem da vaca nas embalagens. Para ele, comida e animal sempre foram coisas diferentes.

Aline conta que a família passou a optar, então, por carnes processadas, que não têm a aparência de animal, mas em pouco tempo Yuri passou a recusar a ideia também. “Pediu para que ninguém comesse com ele na mesa, ou que tivesse algum animal morto na geladeira. Desde então, passamos a comprar tudo de origem vegetal.”

P U B L I C I D A D E

A mudança de hábitos por parte da família implicou a busca de informações por parte da família. O pai de Yuri, o médico Fabio Magário, passou a pesquisar informações e estudos sobre as dietas vegetarianas e o casal chegou à conclusão de que a exclusão de alimentos animais poderia ser benéfica para a saúde deles. “Os exames do Yuri estão ótimos. Ele tem um ano a menos do que a turma da escola, mas acompanha o crescimento físico e se destaca no desempenho intelectual”, completa.

Aline, por outro lado, procurou informações na internet para compreender mais sobre o veganismo. Aos poucos, a curiosidade sobre a família aumentou e motivou a criação do perfil no Instagram. “As pessoas perguntavam muito o que a gente comia, e eu ficava mostrando fotos no celular. Decidi colocar tudo lá (no Instagram) para ficar mais fácil. Mas isso me ajudou a ter mais inspiração, porque descobri vários perfis veganos, e passei a seguir todos”, disse Aline.

Hoje, a família inteira é vegana, inclusive o mais novo integrante, Léo, de 10 meses de idade, que está sendo criado dessa forma pelos pais. Aline hoje é referência para outras mães que passam por situações semelhantes: “Chegam mães perdidas, porque os filhos estão se recusando a comer animais. Imagino que hoje há uma nova geração com consciência expandida”.

P U B L I C I D A D E