Reprodução

P U B L I C I D A D E

A Veg Capital, fundo de britânico focado no mercado vegano, está à procura de empresas plant-based brasileiras para investir. O interesse no país ocorre em após parceria do fundo com o dinamarquês-brasileiro Christian ‘Crica’ Wolthers, investidor-anjo e criador do app Zen. Ele mora há 11 anos no Brasil e é vegano há quatro.

Ao todo, a Veg Capital já impulsionou 19 empresas com cerca de US$ 4 milhões investidos. A maioria dos investidores são anônimos, mas todos alinhados ao veganismo. Agora, com a parceria com Crica, o fundo olha para o mercado sul-americano.

P U B L I C I D A D E

A primeira parceria anunciada, segundo a CNN Brasil, é com a Super Vegan, fábrica de chocolates de Santos (SP). A empresa vende cerca de 750 quilos mensalmente e atende o país todo através do seu e-commerce. Além disso, a marca possui pontos de venda em 32 cidades. A expectativa de crescimento é de até 10 vezes em 2021, mesmo em meio à pandemia.

Uma outra companhia, focada na produção de leite vegetal, deve ser a próxima da lista. O ticket de investimento varia de R$ 350 mil, como foi o caso da Super Vegan, a R$ 1,5 milhão, de acordo com o porte de cada empresa.

P U B L I C I D A D E

O ambiente para investimento no Brasil é favorável. Pesquisa de 2018 do Ibope apontou que 14% dos brasileiros se declararam vegetarianos e 55% afirmaram que consumiriam mais produtos veganos se sua origem estivesse indicada na embalagem.

“O Brasil é a terra dos contrastes. Acredito que ainda não temos tantas discussões sobre sustentabilidade como em outros países porque enfrentamos uma série de outros problemas por aqui, mas as pessoas estão abertas a experimentar novos produtos, e estes produtos estão cada vez mais acessíveis”, disse Crica à CNN.

P U B L I C I D A D E

Luísa Fragão
Jornalista e estudante de Ciências Sociais na FFLCH-USP. Vegetariana desde os 16 anos. Acredita que a vida sem crueldade animal é muito mais ética, sustentável e saudável. É subeditora do Portal Veg.