Foto: freeimages.com

P U B L I C I D A D E

Embora a dieta vegetariana possa trazer uma série de benefícios para a saúde e para o planeta, é verdade que a ausência de ingestão de alimentos de origem animal pode trazer alguns problemas para o organismo de quem não se atenta muito à sua nutrição. Há alguns nutrientes e vitaminas que estão muito presentes em alimentos animais, cuja deficiência pode ser prejudicial ao ser humano. Um deles é o ômega-3.

Junto ao ômega-6, essa gordura vem ganhando fama nos últimos anos devido às inúmeras promessas de saúde que são associadas a ela. Apesar dos exageros que muitos cometem em relação à sua importância e ingestão, a ômega-3 é um nutriente importante para o bom desenvolvimento do organismo e para a manutenção da saúde a longo prazo. Ela contém ácidos graxos não produzidos pelo organismo humano, conhecidos como DHA e EPA, que têm um papel importante no bom funcionamento dos sistemas neurológico e cardiovascular do ser humano. Por isso, às vezes pode ser necessário suplementá-la.

P U B L I C I D A D E

Em geral, o ômega-3 é encontrado em grande quantidade em alguns tipos de peixes, e, por essa ser a fonte mais divulgada, muitos veganos e vegetarianos não sabem de onde extrair essa gordura. Entretanto, ao contrário do que muitos imaginam, ela não é encontrada exclusivamente em alimentos de origem animal. Um dos motivos pelos quais os peixes apresentam essa grande concentração de ômega-3 nos seus organismos é a ingestão intensa de algas e microalgas e produzem ácidos graxos como o DHA.

Por isso, a Sociedade Vegetariana Brasileira recomenda a ingestão, além das algas, de alimentos como: sementes e óleo de linhaça, nozes, feijão de soja e óleo de canola. Além disso, também existem suplementos de ômega-3 no mercado de base vegetal, em geral fabricados a partir de algas. A ingestão de ômega-3 de origem vegetal também pode ser benéfica por representar menor risco de existência de metais pesados na sua composição.

P U B L I C I D A D E